logo aip final
CINE EXPO 2015
  • Home
  • Tarefas e responsabilidades do DF

Tarefas e responsabilidades do DF

Diretor de Fotografia

«Responsável pela qualidade artística e técnica da imagem do filme»

1. PRÉ-PRODUÇÃO

  1. Investigação Conceptual e Design
    • Discutir todos os aspectos do guião e a abordagem do realizador à imagem, em conversas preliminares.
    • Análise do argumento como um todo; Análise da estrutura narrativa, análise das personagens.
    • Investigação da época, acontecimentos, assunto e elementos de design adequados.
    • Definição de estilo, visualização da abordagem.
    • Chegar a acordo com o realizador no ponto de vista estético a dár ao filme.
  2. Investigação Prática e Design
    • Verificar as condições de orçamento.
    • Reconhecer e aprovar os locais de filmagem.
    • Identificar e definir as condições de iluminação nos locais de filmagem.
    • Calcular os tempos necessários para a execução das filmagens.
    • Rever, discutir e aprovar os planos definidos com assistente de realização e produção.
    • Rever e aprovar acessórios, veículos de acção, aviões, barcos, veículos movidos por cavalos, maquetas e miniaturas.
  3. Investigação Técnica e Concepção
    • Definir formato de captação de imagem (filme ou digital)
    • Visitar o laboratório para calibrar, personalizar e avaliar o sistema de exposição adequada para qualquer combinação electrónica ou química de captura de imagem;
    • Visitar casas de aluguer. Para explorar equipamento novo ou inventar (ou fazer com que seja inventado) equipamento especial para a filmagem de um determinado plano.
    • Ajudar a criar e aprovar os storyboards.
    • Conceber (ou fazer com que seja concebido) e aprovar qualquer estrutura fixa de iluminação prática, embutida ou não no décor.
  4. Controlo de qualidade
    • Definir o tipo e quantidades de película.
    • Escolher e aprovar a equipa, câmara, iluminação e maquinaria.
    • Percorrer todos os locais de filmagens e cenários com todos os departamentos para discutir o que é necessário.
    • Aprovar as cores e texturas definidas.
    • Elaborar listas de equipamento para a câmara, material de iluminação e maquinaria.
    • Verificar os visionamentos-teste (rushes) para verificar a qualidade com que vão ser vistas.
  5. Implementação
    • Percorrer os locais com o realizador e traçar o plano de filmagem.
    • Fazer a lista de equipamento especial para o Diretor de Produção e indicar o número de dias necessários.
    • Trabalhar com o realizador num horário de filmagem (requerimento de dias para cada cena).
    • Aprovar equipamento e mão-de-obra de filmagem e técnicos necessários por dia, durante quantos dias.
    • Manter contacto regular com os dirigentes dos outros departamentos.
    • Mediar quaisquer problemas entre departamentos.
    • Aconselhar e apoiar o Realizador em quaisquer problemas.
    • Ajudar o produtor ou o estúdio a resolver quaisquer problemas de produção.
  6. Testes
    • Fazer testes para verificar o estilo.
    • Fazer testes para o laboratório.
    • Fazer testes de iluminação dos actores principais.
    • Fazer testes de câmara e lentes.
    • Fazer testes de guarda-roupa e maquilhagem.
    • Fazer testes para quaisquer processos de efeitos especiais, equipamento pouco habitual, acessórios ou métodos.

II. EM FILMAGEM

  1. Planificar
    • Verificar e aprovar todas as folhas de serviço e plano do dia de trabalho
  2. Ensaio.
    • Assistir ao ensaio da cena a ser filmada
    • Rever lista de filmagem de cena com o Realizador (découpage)
    • Escolher lentes e composição; mostrar ao Realizador para obter aprovação
    • Ter a certeza que a composição e o movimento cumprem o potencial da cena
    • Resolver problemas mecânicos com o Operador de Câmara, Assistente de Câmara ou com equipa de maquinaria.
    • Preparar todas as situações que impliquem movimento de câmara.
    • Assegurar cobertura adequada da cena para edição.
    • Trabalhar com o Assistente de Realização na acção secundária
  3. Iluminação
    • Conceber a iluminação de forma a obter o resultado pretendido face à narrativa, estilo e conteúdo dramático.
    • Conceber a iluminação de forma a ter o mínimo de tempos mortos entre mudanças de cenário/ cena.
    • Definir quaisquer sugestões de iluminação (luzes fracas, focos principais, mudanças de cor e qualquer pré-programação)
  4. Preparação
    • Resolver qualquer problema com outros departamentos.
    • Verificar, preparar e aprovar todas as cenas perigosas com o coordenador responsável.
    • Preparar câmaras adicionais para as cenas perigosas.
    • Verificar cuidadosamente a segurança nessas cenas.
    • Mostrar a filmagem da cena ao Realizador para fazer alterações finais.
  5. Fotografia
    • Fotografar a cena
    • Aprovar ou corrigir o take
    • Verificar parâmetros e preparar o take seguinte
    • Mover tudo para o próximo cenário/ cena
  6. Administrativo
    • Definir primeira cena (e respectivo equipamento) da manhã e de depois de almoço.
    • Verificar o inventário de película virgem.
    • Discutir a primeira cena (e respectivo equipamento) do próximo dia.
    • Verificar todo o equipamento que não foi utilizado para poder ser devolvido.
  7. Controlo de Qualidade
    • Pedir relatório ao laboratório
    • Visionar o dia de trabalho anterior através da projecção das rushes com o Realizador, Produtor, Montador e equipa.
    • Discutir e aprovar as rushes
    • Consultar com a maquilhagem, guarda-roupa, Direcção de Produção e Assistente de Realização acerca das rushes
    • Ver, discutir, corrigir e aprovar as rushes da segunda unidade ou efeitos
    • Encomendar novas cópias se necessário

III. PÓS-PRODUÇÃO

  1. Ajuste
    • Acompanhar a correção de cor. (Cor e Densidade)
    • Aprovar todos os componentes ópticos e efeitos digitais.
    • Corrigir e aprovar o trailer (segmento de apresentação) para os cinemas e televisão.
    • Supervisionar e aprovar todas as transferências de e para intermédios digitais
  2. Controlo de Qualidade
    • Aprovar a versão final para impressão.
    • Aprovar as cópias de distribuição em qualquer formato.
  3. Divulgação
    • Estar disponível para todo o tipo de divulgação (jornal, revista, Internet, rádio, televisão, comentário em DVD, etc.)
  4. Restauro/Arquivo
    • Estar disponível para qualquer reedição, impressão de arquivo ou transferência electrónica da obra.

Definição Profissional de Director de Fotografia

Cinema

«O director de fotografia é o responsável pela qualidade artística e técnica da imagem do filme»

O DIRECTOR DE FOTOGRAFIA.

Definição do termo Director de Fotografia.

O Director de fotografia tem várias denominações. Em inglês é aquela que melhor distingue e separa claramente as diferentes designações para o director de fotografia. Denomina-se «cinematographer». «Director of Photography» e «Lighting Cameraman» define que há um responsável final pela fotografia e outro por conseguinte da iluminação efectuada.

Em Itália a Associação de Directores de Fotografia é denominada «Autore della fotografia» e em Espanha «Asociación Española de Autores de Obras Fotográficas Cinematográficas», sendo nestes dois casos uma clara referência à «autoria» da obra cinematográfica.

Esta diferença parte exactamente de algumas associações europeias nomeadamente a britânica, a francesa e a espanhola, que só aceitam membros que tenham feito um número mínimo de longas-metragens.

Em Portugal como em muitos países não é possível obter uma tradução directa do termo «cinematographer». No caso português o mais aproximado que podemos obter, será «cinematógrafo». A palavra existe efectivamente no dicionário mas é-lhe atribuído outro significado. O projector, o CINEMATÓGRAFO numa tradução directa a partir da máquina dos irmãos Lumiére.

Para todo o mundo a denominação comum é Director de Fotografia.

A definição do director de fotografia em França resume-se em:

«Responsável pela qualidade artística e técnica da imagem do filme.»

Parece ser a melhor definição que cabe numa frase curta mas que abrange as duas componentes do trabalho do director de fotografia. A artística e a técnica.

Charte AFC

«O Director/a de Fotografia é responsável por tudo o que diga respeito à imagem do filme A imagem que é vista pelo público, é resultado da colaboração de muitas pessoas

O Director de Fotografia é por princípio escolhido pelo realizador, por vezes pelo produtor. É escolhido e deve ser escolhido pela sua capacidade técnica, experiência, pelo seu estilo artístico que se encaixa nas especificidades do filme, pela sua equipa e capacidade de liderança.

O Director de Fotografia é responsável com o produtor para encaixar dentro do possível aos meios de produção disponíveis para alcançar as imagens pretendidas para o filme.

Durante a preparação e produção, o Director de Fotografia é um colaborador criativo e participativo na concepção dos planos na sua estética e composição. O principal papel criativo dele é determinar a iluminação, a exposição não importa em qual formato. Estes dois importantes aspectos requere que antes da produção o Director de Fotografia possa intervir directamente com a imagem final do filme. Depois da rodagem este deve ter controlo sobre oacorreção de cor e toda a manipulação da imagem até ao fim.

Todas as decisões devem ser tomadas com o realizador e produtor.»

Em Wikipedia

«A cinematographer is one photographing with a motion picture camera (the art and science of which is known as cinematography). The title is generally equivalent to director of photography (DP or DoP), used to designate a chief over the camera and lighting crews working on a film, responsible for achieving artistic and technical decisions related to the image. The cinematographer is sometimes also the camera operator.. To most, cinematographer and director of photography are interchangeable terms.

Responsibilities

The English system of camera department hierarchy sometimes firmly separates the duties of the director of photography from that of the camera operator to the point that the DP often has no say whatsoever over more purely operating-based visual elements such as framing. In this case, the DP is often credited as a lighting cameraman. This system means that the director consults the lighting cameraman for lighting and filtration and the operator for framing and lens choices.

In the American system, which is more widely adopted, the rest of the camera department is subordinate to the DP, who, along with the director, has the final word on all decisions related to both lighting and framing.

The cinematographer typically selects the film stock, lens, filters, etc. to realize the scene in accordance with the intentions of the director. Relations between the cinematographer and director vary; in some instances the director will allow the cinematographer complete independence; in others, the director allows little to none, even going so far as to specify aperture and shutter angle. Such a level of involvement is not common once the director and cinematographer have become comfortable with each other. The director will typically convey to the cinematographer what he wants from a scene visually, and allow the cinematographer latitude in achieving that effect.

Some of the crew who work under or closely with the cinematographer include:

  • camera operator
  • focus puller (1st assistant cameraman)
  • clapper loader (2nd assistant cameraman)
  • second unit
  • assistant camera trainee (camera production assistant)
  • gaffer, best boy, and electricians (also called Set Lighting Technicians, Lamp Operators or nicknamed sparks or juicers)
  • key grip, best boy grip, dolly grip, grips
  • production designer and art director
  • costume designer
  • color timer or colorist

Encyclopedia Britannica

Role of the cinematographer

Cinematographers remain virtually unknown outside the motion-picture industry even though their contribution sometimes matches that of the director in importance. Although the director has ultimate control over the visual image, the cinematographer actually records that image on film, translating the directors ideas and creating the atmosphere and the look of the film. The association between the cinematographers and the processing laboratory is also of highest importance because the cinematographer often spends hours there after shooting, checking the negative. On most feature films a camera team (often consisting of a director of photography, cameraman, and assistant cameraman) shares the responsibilities.

Cinematographers are responsible for exact framing, sometimes for screens of more than one type. They also must decide upon the use of masking, the choice of lens, the camera angle, and the control of camera movement. They must either keep the focus sharp or put all or part of the picture out of focus if this effect is required. Cinematographers also control slow motion or accelerated motion. With early hand-cranked cameras, the camera operator simply slowed down or cranked faster, but later special controls and cameras were developed. Trick photography was once affected by simple manipulation of the camera: magical transformations were made simply by stopping the camera and changing the scene, and the impression of backward motion was achieved by turning the camera upside down and reversing the film. More elaborate processes now at the cinematographers command involve laboratory technicians as much as the camera crew. Many effects require the actors to perform against a background of previously prepared film. The cinematographer must be in command of all these processes. The best cinematographers give a motion picture a visual style that is peculiarly their own.

DIT Digital Imaging Technician

Digital Imaging Technician DIT

A Associação BVK alemã fez uma descrição do técnico digital muito completa que se pode ler em baixo.

Job description: Digital Imaging Technician (DIT)

(also Digital Film Technician (DFT), Camera Supervisor, Camera Consultant, Digital Camera Consultant (DCC), Digital Camera Supervisor (DCS), HD Supervisor (HDS), Digital Imaging Supervisor)

Preliminary remarks:

The increasing digitalisation of individual steps, as well as of the whole of the process of image recording or image processing, and the corresponding changes in means and forms of production have an influence on the work of the director of photography that is not to be underestimated. At the same time there is increasing pressure on all departments to produce ever more quickly and efficiently.

Digital production often needs an additional, appropriately specialised, person in the camera department who takes over new additional tasks and advises the team.

If necessary, s/he can carry out preliminary technical quality checks of the recorded material already on location. This does not replace the final technical control of the image material in post-production but can contribute greatly to production safety with the aim of assuring the best possible technical quality of the digital film records.

The DIT is an independent specialised technician and adviser of the camera department. S/he supports the camera crew in their technical creative work using an electronic camera. S/he works during preparation as well as during production and can act as a link between location and post-production.

Professional background and prerequisites

Up to now, no recognised training exists in Germany.

The DIT has

  • knowledge of the processes of film and TV production, as well as of possible differences in respective production and post-production techniques
  • extensive knowledge of customary cameras, storage media and their respective possibilities and limitations
  • basic knowledge of lighting, optics and filters, colour theory and technical and creative light exposure
  • in-depth knowledge of video and digital technology and of measurement technology used in practice, such as waveform monitors, vectorscopes, histograms
  • good knowledge of use of computers and relevant accessories, e.g. to be able to assess the data security of different storage media for image recording or to be able to make camera-specific adjustments
  • basic knowledge of possibilities and work flow in post-production, e.g. of colour correction and transfer to film

Duties and activities

Preparation:

  • Advising the DOP in the choice of the production system
  • Planning the work flow
  • Testing the visual concept of the DOP with respect to its feasibility during production and post-production
  • Intensive testing and preparation of the equipment in collaboration with the first assistant cameraman and post-production
  • If required, calibration and look management of the equipment
  • If required, fine-tuning of data structures / data management in consultation with post-production
  • Assembly and choice of equipment in collaboration with the first assistant cameraman
  • Carrying out and if necessary correcting the set-up of the equipment, controlling technical functioning, e.g. adjustment (matching) when working with several cameras
  • Planning and organisation of equipment in consultation with the first assistant

During shooting:

  • The DIT supports the DOP in the implementation of the desired image character using the appropriate technical options
  • First technical checks on location (digital gate check)
  • Responsibility for maintenance of the technical work flow during shooting and data storage, during filming at difficult (e.g. high contrast) locations or while working with chroma key (blue / greenscreen)
  • Data management on location / checking samples, if necessary data storage
  • Operation of special equipment, e.g. recorders, signal converters
  • Close collaboration with the first assistant cameraman e.g. for control of focus and exposure, as well as with other departments (e.g. sound)
  • Repairing small technical defects, as far as possible on location
  • Setting up and adjusting the set-up of equipment (video village, measurement technology, monitoring, recording) in collaboration with the first assistant cameraman / video operator
  • Changing the recording parameters for optimising the desired image charateristics

Post-production:

  • If required, technical/visual check of the image material at the post-production facility using appropriate equipment
  • If desired, preparing the production of dailies/rushes or of working copies or similar in consultation with post-production
  • Equipment logistics, e.g. for handing the recordings over to post-production, data storage, data transfer etc.
  • Return of equipment in collaboration with the first assistant cameraman

The job description of the Digital Imaging Technician was elaborated by a committee set up in the General Meeting of the bvk - German Society of Cinematographers - in January 2009. The Members of the Board voted in August 2009 unanimously to publish this job description and to establish defined quality standards in the professional field of the DIT.

Copyright: bvk – Bundesverband Kamera, German Society of Cinematographers, Brienner Str. 52, 80333 München, Germany, 2009